PR é o 2º estado que mais forma em T.I no país

0
132
Foto Divulgação

Mas 70% dos alunos que saem das universidades não se encontram prontos para o mercado de trabalho

Um encontro reuniu de maneira inédita no Paraná várias instituições de ensino – públicas e privadas – que possuem cursos superiores na área de Tecnologia da Informação (T.I.), empresários, além de entidades representativas, agências de fomento, e órgãos do governo do Estado a fim de discutir a formação no setor. 

Promovido pela Assespro-PR; em parceria com a Celepar, Fiep, Fundação Araucária e Paraná Metrologia; o “Workshop T.I. PR 2019 – Diálogos e Perspectivas para a Formação de Profissionais de T.I. para os Próximos Anos” foi realizado nesta terça-feira (23/04) e teve como objetivo proporcionar a troca de informações entre os que procuram profissionais e os que formam estes para o mercado de trabalho. O workshop, realizado no Centro de Eventos da Fiep, foi composto por talk shows de 10 minutos, ministrados por representantes de cada área, que expuseram os principais desafios neste âmbito.

“Este workshop configura-se como um marco na história do setor. Acredito que atingimos o nosso objetivo de oportunizar que as instituições de ensino conheçam as necessidades reais do mercado e troquem informações para aperfeiçoamento de seus cursos”, afirmou Adriano Kryuzy, presidente da Assespro-PR.

Segundo estudo da Assespro e da UFPR, o Paraná é o segundo Estado que mais forma profissionais da computação do Brasil, com 19% (3.970), ficando atrás somente de São Paulo, que possui um índice de 37% (13.331). Isso dentro de um cenário de grande evasão escolar, que beira os 70% no país. 

Contudo, de acordo com uma sondagem realizada pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE-PR) com empresas do Estado, 74,1% dos empresários acham que os profissionais formados pelas universidades não estão preparados tecnicamente para as demandas do mercado, contra um índice de 25,9% que acreditam que estão. Entre estas empresas, 59,3% estão com vagas abertas para novas contratações, mas enfrentam dificuldades para encontrar profissionais que se encaixem no perfil que procuram. 

Segundo Ailton Renato Dorl, vice-presidente da Assespro-PR, há 40 anos o setor procurava realizar um evento como o workshop T.I. PR 2019 e nunca havia conseguido. “Hoje, os jovens que optam por cursos na área de tecnologia passam no vestibular e já estão empregados, pois faltam profissionais no setor. Contudo, chegam ao mercado despreparados. É preciso repensar o modo de prepará-los”.

Estiveram presentes no evento as seguintes instituições: Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Tuiuti do Paraná, Instituto Federal do Paraná, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Centro Universitário de Maringá (Unicesumar), Universidade Estadual do Paraná (Unespar), Senac, Centro Universitário Opet, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), Sistema FIEP, CIEE, Celepar, Paraná Metrologia, Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Governo do Estado do Paraná e Fundação Araucária, além de empresas como Cinq Technologies, Gestran, Digidata e Rentcars.

O coordenador do Curso de Ciências da Computação da Unioeste de Cascavel, Guilherme Galante, que participou do evento, disse que aproveitará algumas ideias compartilhadas para o melhoramento de sua grade disciplinar. “Viemos estar cientes do que o mercado está demandando e vermos o que podemos melhorar no nosso curso. Foi muito bom ter acesso à visão do mercado para saber o que se espera do profissional da área e assim prepararmos melhor nossos alunos para o que as empresas estão buscando”.

“Estamos caminhando para um mundo que só funciona à base de tecnologia e que muda muito rápido. Por isso, temos que fazer o exercício de entender que as necessidades de agora serão diferentes daqui a 4 ou 5 anos. Hoje, o atual governo quer tornar o Paraná o Estado mais inovador do país e para avançar neste sentido é importante darmos atenção a discussões como esta. Precisamos de um bom ecossistema formador de talentos que possam gerar inovação de modo acelerado”, concluiu na ocasião Allan Costa, presidente da Celepar –  Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná, instituição vinculada ao governo do Estado. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here