IPC de Curitiba foi de 0,30% em dezembro de 2018

0
157
Transporte, Saúde e Cuidados Pessoais e Despesas Pessoais foram os ajudaram a conter o acumulado. Foto Panorama do Turismo

Índice acumulou alta de 3,42% em 2018, o menor valor desde 1999. 

O índice de Preços ao Consumidor de Curitiba oscilou 0,30% na apuração de dezembro, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). Este valor ficou 0,12 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de novembro (0,18%) e foi 0,45 p.p. inferior ao resultado de dezembro de 2017 (0,75%).

Com avanço menos intenso em comparação a períodos anteriores, o índice acumulado de 2018 concluiu o ano com variação de 3,42%, resultando na menor taxa anual desde 1999.

DESTAQUES – Os grupos Transporte, Saúde e Cuidados Pessoais, e Despesas Pessoais, cujas ponderações somadas correspondem a 50% do IPC, foram os principais destaques na contenção do resultado acumulado durante esse período.

Por sua vez, a aceleração do índice mensal teve como principal influência, em pontos percentuais, o acréscimo de 2,89% no grupo Despesas Pessoais, destacando-se os aumentos ocorridos em pacotes turísticos nacionais, 17,67%, e pacotes turísticos internacionais, de 15,74%, e, no outro extremo, a retração em ingressos de casas noturnas (5,82%).

Já o grupo Transporte exerceu pressão inversa, ao apresentar decréscimo de 0,84%. Contribuíram para este comportamento as quedas em gasolina comum (5,57%), automóvel nacional usado (0,47%), seguro voluntário de veículo (6,32%), etanol (3,71%) e óleo diesel (4,04%). Por outro lado, observou-se alta de 1,05% em automóvel nacional zero km, de 1,56% em motocicleta zero km e de 4,66% em tarifa de ônibus interestadual.

O aumento de 1,18% do grupo Saúde e Cuidados Pessoais foi reflexo dos reajustes de 2,29% em creme de pele e bronzeador e de 10,85% em medicamento antidepressivo. Com decréscimo, o destaque coube a perfume (1,22%).

A variação de 0,72% do grupo Alimentos e Bebidas teve o auxílio dos aumentos de 0,96% de refeição fora de casa, 21,45% em batata-inglesa, 3,11% em refrigerante de cola, 20,03% em cebola e de 4,38% em costela bovina. Os destaques com preços menores foram de leite integral (4,03%), leite desnatado (6,93%) e queijo mussarela (2,60%).

O declínio ocorrido no grupo Habitação (0,26%) foi puxado, principalmente, pela tarifa de energia elétrica residencial, que recuou 1,93% no mês de dezembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here